Fique Bem Informado acesse o Blog do Beto

ÁUDIO DESCRIÇÃO DO BLOG DO BETO: VOCÊ QUE TEM PROBLEMA VISUAL CLIQUE AQUI EM BAIXO:

domingo, 19 de março de 2017

Leitor que está com celular Click Aqui para ler as notícias atualizadas do Blog do Beto.

Identificadas as duas jovens que morreram

emacidente em Prudentópolis.



Familiares identificaram as duas jovens mortas em um acidente registrado na área central de Prudentópolis na manhã deste domingo (19) . Laleska Gaspar e Jiane Carla Campagnaro,  ambas de 18 anos, morreram após o GM Celta em que elas estavam colidir contra uma árvore na Rua Domingos Luiz de Oliveira, por volta das 6h30.
A identificação dos corpos das vítimas ainda não foi divulgada por autoridades de segurança, mas os pais de Jiane estiveram no local do acidente e confirmaram os nomes.
A Defesa Civil de Prudentópolis esteve no local para o socorro das vítimas, mas já encontrou Jiane em óbito. Laleska foi encaminhada ao hospital às pressas, mas faleceu poucos minutos após dar entrada no centro médico.
As causas do acidente não foram identificadas. A Polícia Militar (PM) esteve no local e isolou a área. O Instituto Médico Legal (IML) de Guarapuava recolheu os corpos das jovens ainda no local do acidente e também no hospital. 


Grave acidente é registrado na PR-182.



Um grave acidente de trânsito foi registrado na madrugada deste domingo (19), na rodovia PR-182, trecho entre Palotina e Maripá. 
Envolveram-se neste acidente uma pick up Saveiro e um Ford Fiesta.
As informações dão conta de que a Saveiro transitava pela rodovia sentido Palotina/Maripá e o Fiesta em sentido oposto. Ao se cruzarem ocorreu a colisão.
Na batida, os ocupantes da Saveiro ficaram feridos, sendo que o condutor, um adolescente de 17 anos, teve fratura exposta em uma das pernas e foi socorrido e encaminhado ao Hospital Municipal de Palotina. Já os ocupantes do Fiesta não se feriram. 
Os danos nos automóveis foram considerados de grande monta.
A Polícia Rodoviária Estadual e socorristas do Samu fizeram o atendimento à ocorrência.
Fonte CGN

Papelão e substância cancerígena ou exagero? O que se sabe - e o que é dúvida - na operação Carne Fraca.


Resultado de imagem para carne fraca

Carne com papelão? Vitamina C cancerígena na salsicha? Desde que a Operação "Carne Fraca" da Polícia Federal foi deflagrada na última sexta-feira, as informações se espalharam pela internet e causaram pânico em muitos consumidores.
A BBC Brasil conversou com engenheiros de alimentos e especialistas em carnes para esclarecer o que pode e o que não pode ser adicionado no processamento de carnes e quais as preocupações que a investigação da PF deve despertar no consumidor.
Para alguns deles, a maneira como a operação foi divulgada acabou gerando uma desconfiança "exagerada" sobre a carne brasileira.
"A polícia agiu mal com a maneira como divulgaram tudo. Acho que houve um certo exagero, para precipitar a loucura que foi na imprensa ontem", disse à BBC Brasil o engenheiro de alimentos Pedro Felício, da Unicamp.
A também engenheira de alimentos Carmen Castillo, da ESALQ - USP (Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz), ressalta que as empresas que fabricam produtos com carne devem obedecer estritamente à legislação, mas pontua que alguns ingredientes citados nas acusações, como o ácido ascórbico, são necessários para o processamento dos alimentos.
"Não é problema usar esses ingredientes, o problema é não respeitar os níveis permitidos", disse à BBC Brasil. De acordo com a Polícia Federal, esse seria um dos delitos cometidos pelas empresas, que utilizavam ingredientes no processamento de carnes em quantidades acima dos níveis permitidos.
"Eles usam ácidos, outros ingredientes químicos, em quantidades muito superiores à permitida por lei pra poder maquiar o aspecto físico do alimento estragado ou com mal-cheiro", explicou o delegado da PF responsável pela investigação, Maurício Moscardi Grillo, em entrevista coletiva na sexta-feira.
A operação deflagrada pela PF foi a maior de sua história e revelou que empresas do setor, incluindo as as gigantes JBS e a BRF, adulteravam a carne que vendiam no mercado interno e externo.
A investigação também revelou um esquema de propinas e presentes dados pelos frigoríficos a fiscais do Ministério da Agricultura, que supostamente recebiam para afrouxar a fiscalização e liberar a comercialização de carne vencida e adulterada.
Sobre as acusações, a JBS se manifestou dizendo que "é a maior interessada no fortalecimento da inspeção sanitária no Brasil", ressaltando que "no despacho da Justiça Federal que deflagrou a operação, não há qualquer menção a irregularidades sanitárias ou à qualidade dos produtos da JBS e de suas marcas." A BRF disse que "apóia a fiscalização do setor e o direito de informação da sociedade com base em fatos, sem generalizações que podem prejudicar a reputação de empresas idôneas e gerar alarme desnecessário na população."

Exagero?

O delegado Grillo explicou os problemas encontrados na carne das empresas investigadas pela operação - que iam desde mudar a data de vencimento e a embalagem de carnes estragadas, que eram usadas como matéria-prima para embutidos, até injetar água em frangos para alterar seu peso e mascarar a deterioração de carnes com o uso de ácido ascórbico.
"São dois anos de análise de fatos, desde utilização de papelão por essas empresas - até essas que já citei de grande porte (JBS e BRF) - para colocar esse tipo de situação em comidas, pra fazer enlatados, e outras coisas que podem prejudicar a saúde humana. (...) Tudo isso mostra que o que interessa para esse grupo é o capitalismo, é o mercado, independente da saúde pública", disse.
"Determinados produtos, cancerígenos até, em alguns casos, eram usados pra poder maquiar as características de um produto estragado ou com cheiro."
Mas alguns especialistas ouvidos pela BBC Brasil avaliam o modo como as informações foram divulgadas como "sensacionalista".
"A divulgação da operação foi muito sensacionalista. Essa é uma questão pontual. Estou nesse mercado, estudando e trabalhando, há 30 anos. Uma das empresas que dirijo importava carne do Uruguai e da Argentinos até 2012. Hoje, 100% da carne que usamos é produzida no Brasil porque melhorou muito a qualidade", afirma Sylvio Lazzarini, dono do restaurante Varanda Grill, em São Paulo.
Já Felício ressaltou a importância da investigação e disse que a operação revela um problema no setor, que "precisa de uma renovação no sistema de fiscalização". Ele destaca, porém, que é preciso tomar cuidado com a "demonização" de ingredientes comuns na indústria de carnes, como o ácido ascórbico, "que é utilizado no mundo todo".
A BBC Brasil procurou a Polícia Federal, mas não obteve resposta até o fechamento dessa reportagem.

Papelão

Ao anunciar a operação, a PF mencionou que empresas envolvidas no esquema de corrupção "usavam papelão para fazer enlatados (embutidos)".
Em uma das ligações telefônicas citadas no relatório da Polícia, funcionários da BRF falam sobre o uso de papelão na área onde produzem CMS (carne mecanicamente separada, comumente usada na produção de salsichas).
No áudio, é possível ouvir:
"Funcionário: o problema é colocar papelão lá dentro do cms também né. Tem mais essa ainda. Eu vou ver se eu consigo colocar em papelão. Agora se eu não consegui em papelão, daí infelizmente eu vou ter que condenar.
Luiz Fossati (gerente de produção da BRF): ai tu pesa tudo que nós vamos dar perda. Não vamos pagar rendimentos isso."
Pedro Felício acredita que a referência ao papelão não foi feita como ingrediente para o processamento da carne. "Acho muito difícil isso ter acontecido. O que acontece é que tem áreas dentro das indústrias que são chamadas de área limpa, onde não podem entrar embalagens secundárias, como caixas de papelão", diz.
"Na gravação que ouvi, duas pessoas falavam em entrar com uma embalagem de papelão na área limpa. Evitar papelão nessas áreas faz parte das boas práticas de manufatura, mas não fazer isso não é o mesmo que usar papelão dentro da salsicha."
Em nota, a empresa BRF afirmou que "houve um grande mal entendido na interpretação do áudio capturado pela Polícia Federal".
A empresa afirma que um de seus funcionários falava que tentaria embalar a carne em papelão. O produto é embalado normalmente em plásticos.
"Na frase seguinte, ele deixa claro que, caso não obtenha a aprovação para a mudança de embalagem, terá de condenar o produto, ou seja, descartá-lo", afirma Felício.

Ácido ascórbico

O ácido ascórbico - a popular vitamina C - também foi citado pelo delegado da PF como algo utilizado para "maquiar" o aspecto da carne.
"Eles usam ácido ascórbico e outras substâncias na carne pra maquiar essa imagem ruim que ficaria se ela fosse expostas dessa forma. Inclusive cancerígenas. Então se usa esses produtos multiplicados 5, 6 vezes pela quantia permitida pela lei para que não dê cheiro, e o aspecto de cor fique bom também", disse Grillo.
A partir daí, muitas pessoas associaram o ácido ascórbico como sendo uma substância potencialmente cancerígena. De acordo com a OMS, ela pode contribuir com distúrbios gastrointestinais, cálculos renais e outros problemas de saúde se for consumida em excesso e por longos períodos de tempo, mas não há evidências de qualquer relação com o câncer.
Os especialistas alertam que o uso de ácido ascórbico em si na carne não é problema. "O uso dele tem benefícios e não é para mascarar carne adulterada. Ele tem uma função nas carnes processadas como antioxidante, ajuda a melhorar a estabilidade do sabor e reduzir o teor de nitrito residual. O nitrito é um aditivo para realizar a cura, que é uma etapa importante no processamento da maior parte dos produtos processados. Todo ingrediente não cárneo tem função a cumprir no processamento de alimentos", afirmou Carmen Castillo.
Pedro Felício pontua que o ácido ascórbico "evita que a carne fique com uma coloração marrom" e que "isso é feito no mundo todo".
A substância, segundo Felício, consegue mascarar a deterioração da carne no princípio, quando ela só tem algumas manchas, mas não quando o estado é mais avançado.
"A carne usada como matéria-prima não deve ter qualquer aditivo, nem o ácido ascórbico. Se a Polícia achou isso, não deveria acontecer", diz.

Salsicha de peru sem peru

A descoberta de que, no Paraná, alunos da rede pública estadual consumiram salsicha de peru sem carne de peru - preenchida com proteína de soja, fécula de mandioca e carne de frango - deu início à investigação de dois anos.
"Muitas vezes verificou-se a falta de proteína, por exemplo, numa merenda escolar, trocada por fécula de mandioca ou então a proteína da soja, que é muito mais barata do que a carne, então substituía. Muitas vezes até tinha a quantidade de proteína suficiente, mas não era a proteína da carne, era proteína de outro alimento, que não traz as mesmas substâncias pro corpo humano como a carne", afirmou o delegado.
O uso de soja e de fécula de mandioca são comuns na produção de embutidos em todo o mundo, segundo os especialistas, porém é preciso respeitar as quantidades permitidas pela lei.
"É preciso observar as quantidades usadas, porque elas só podem ser usadas dentro dos limites da lei. Senão, você tem um produto de carne que tem predominância de matérias-primas não cárneas", diz Felício.

Injeção de água no frango

Segundo a PF, fiscais teriam descoberto que frangos da empresa BRF, a maior exportadora de frango do mundo, teriam "absorção de água superior ao índice permitido".
"Injetar água no frango é um problemão com o qual o Brasil vive e luta contra há muito tempo. Há oito anos que o Ministério da Agricultura é cobrado pelo Ministério Público que o frango não pode ter mais de 8% de água", afirma Felício.
"É uma luta difícil. Eu não duvido que isso aconteça muito por aí, mas existe um esforço para combater."
A prática não chega a ser prejudicial à saúde, mas altera o peso da carne. "É uma fraude econômica", diz o engenheiro.

Cabeça de porco

O uso da carne de cabeça de porco ou de boi em linguiças é discutido em uma das ligações interceptadas entre os sócios do frigorífico Peccin e é proibido no Brasil. "Usavam cabeça de porco, animal morto, tudo para fazer esse tipo de produtos, principalmente esses derivados, salsicha, linguiça, e outros produtos", afirmou Grillo.
A utilização de cabeça de porco é admitida em outros países, segundo Felício. "Não será a melhor linguiça do mundo, mas não é prejudicial à saúde. Será um produto comestível, mas de categoria inferior."
"No Brasil, essa carne é considerada como matéria-prima nas formulações de embutidos cozidos, como mortadela, mas não em linguiças, que são cruas."

O consumidor deve se preocupar?

Segundo Sylvio Lazzarini, as irregularidades encontradas pela Polícia Federal devem ser punidas, mas não representam a totalidade dos produtos feitos no Brasil e vendidos em supermercados e restaurantes.
"A carne brasileira evoluiu muito nos últimos anos e é muito segura. Senão o Brasil não exportaria para os países asiáticos, e muito menos para os EUA, que tem um dos maiores controles fitossanitários do planeta", diz Lazzarini.
Para o empresário, "irregularidades desse nível existem em todo o mundo porque bandidos existem em todo lugar".
O Ministério da Agricultura divulgou nota também para "acalmar os ânimos" dos consumidores. "O Serviço de Inspeção Federal é considerado um dos mais eficientes e rigorosos do mundo. Tem um quadro de 2.300 servidores e inspeciona 4.837 unidades produtoras habilitadas para exportação para 160 países. Foi com este Serviço que construímos uma reputação de excelência na agropecuária e conseguimos atender às exigências rigorosas de diferentes nações", afirma a pasta.
O delegado da PF chegou a ser questionado na coletiva de imprensa se seria correto afirmar que "quase nenhum produto no mercado hoje está 100% livre dessas possíveis fraudes". Ele respondeu com cautela, mas não escondeu sua preocupação.
"É possível que a gente tenha consumido alimentos de baixa qualidade, no mínimo, com qualidade inferior do que deveria ser fornecido."
"Hoje é realmente complicado. Tenho ido ao mercado e passeio um bom tempo até escolher um produto, mudou esse aspecto na minha vida. É difícil porque a confiança que a gente tem nas empresas, pelo menos da minha parte, mudou muito. São empresas que a gente considerava corretas, então assusta. Obviamente deve ter empresas sérias, corretas, mas na investigação foi assim, foi aparecendo uma, depois outra. Acho que a gente pode dizer que todas as empresas que a gente teve o azar ou a sorte de investigar tiveram problemas sérios. Foram quase 40."
Para evitar problemas, Pedro Felício afirma que os consumidores devem sempre conferir se os estabelecimentos de onde compram carne vendem produtos com certificação de origem e de inspeção, de preferência federal.
"O que está sendo utilizado nos produtos está aprovado e discutido e é usado em outros países. Eu não acredito que essas acusações possam ser generalizadas, acho que é um problema localizado e o governo terá que resolver", diz.
Fonte G1

NEY VISITA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO EM BUSCA DA LIBERAÇÃO DE RECURSOS DE OBRAS EM ANDAMENTO EM PALMITAL.


O Prefeito Ney esteve hoje pela manhã, acompanhado do assessor de gabinete do Deputado Federal Fernando Giacobo, o Sr. Edileno no Ministério da Educação em Brasília. A visita ao ministério foi para verificar a situação dos repasses de verbas para as obras já em andamento no município de Palmital.
A preocupação do Prefeito é de que esses repasses sejam feitos de forma ininterrupta para não interromper o andamento das obras que já estavam a muito tempo paradas. As obras em questão são: A Creche do Residencial Meron Matchula e as quadras do Sol Nascente e Vila Parque Junior.
No FNDE o prefeito esteve resolvendo questões das senhas dos sistemas da Secretaria de Educação.
Fonte Prefeitura de Palmital
Petrobras reajusta em 9,8% o 

preço de botijões de gás de uso 

residencial.


A Petrobras aumentou em 9,8%, em média, os preços dos botijões de até 13 kg de gás liquefeito de petróleo para uso residencial (GLP P-13). O reajuste entrará em vigor às 0h de terça feira (21). O último reajuste realizado pela companhia foi em 1º de setembro de 2015. A empresa alertou que a correção divulgada ontem (17) não se aplica ao GLP de uso industrial.
A Petrobras destacou ainda que as revisões dos preços feitas para as refinarias podem ou não se refletir no preço final ao consumidor, uma vez que, de acordo com a legislação, há liberdade de preços no mercado de combustíveis e derivados. “Isso dependerá de repasses feitos especialmente por distribuidoras e revendedores”, apontou a empresa na nota de informação do aumento.
Pelos cálculos da companhia, se o reajuste for repassado, integralmente, aos consumidores, o preço do botijão de GLP P-13 pode ter alta de 3,1% ou cerca de R$ 1,76. “Isso se forem mantidas as margens de distribuição e de revenda e as alíquotas de tributos”. Ainda conforme a nota, o ajuste foi aplicado sobre os preços praticados pela Petrobras sem incidência de tributos.
Fonte Redesul
PRF apreende mais de meio milhão de reais.
A Polícia Rodoviária Federal (PRF) apreendeu mais de meio milhão de reais em uma Land Rover Discovery 2016 em Cascavel, no oeste paranaense na madrugada de sábado (18).
No veículo, com placas de São Paulo ocupado por dois casais, os agentes verificaram que no compartimento das bagagens havia várias bolsas com dinheiro, que somados totalizaram R$ 513.800,00 (quinhentos e treze mil e oitocentos reais).
Diante dos fatos, os quatro, juntamente com o dinheiro e o carro foram encaminhados para Polícia Federal de Cascavel, para esclarecimentos, sob a suspeita de evasão de divisas, já que estariam levando o dinheiro para o Paraguai sem comprovação da sua origem, conforme a Lei 9.069 de 1995, que diz que a entrada e saída de moeda nacional e estrangeira do país devem ser realizadas exclusivamente por meio de instituição autorizada a operar no mercado de câmbio, além da identificação do cliente ou do beneficiário.
Fonte PPNEWS

Professores da rede estadual suspendem a greve.



Os professores da rede estadual de ensino decidiram encerrar a greve da categoria. A decisão foi tomada na manhã deste sábado, 18, em assembleia. A paralisação foi iniciada no último dia 15, data do Dia Nacional de Paralisação conta as reformas de Previdência e trabalhistas.
Segundo os dados do Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Paraná (APP-Sindicato), dois mil professores e funcionários participam da assembleia. A partir de segunda (20), as aulas voltarão ao normal nas escolas estaduais.
Em nota, o governo do Estado, reafirmou o desconto dos dias parado. "Com a decisão do sindicato pelo encerramento da paralisação na educação, a Casa Civil e a Secretaria de Estado da Educação reiteram que as faltas já foram lançadas, conforme anunciado, e reafirmam a posição do Governo do Estado, que se mantém à disposição para o diálogo, como sempre, com respeito e civilidade esperados em um país democrático.", diz a nota.
Informações são do Bem Paraná.
Colisão de carro contra árvore deixa dois mortos e quatro feridos em Prudentópolis.
Uma colisão de um carro contra uma árvore deixou dois mortos e quatro feridos na manhã deste domingo (19) no Centro de Prudentópolis.
O acidente ocorreu por volta das 06h, na rua Domingos Luiz de Oliveira. O motorista perdeu o controle de um veículo GM Celta e bateu contra uma árvore. Seis pessoas estavam no carro. Uma moça morreu no local e outra jovem entrou em óbito enquanto era socorrida pelo Bombeiro Comunitário.
As outras quatro vítimas foram socorridas e encaminhadas para os hospitais de Prudentópolis. As jovens que entraram em óbito ainda não foram identificadas.
Os corpos das vítimas fatais estão sendo encaminhados ao Instituto Médico Legal (IML) de Guarapuava.
Fonte Redesul


Cantagalo - Motorista de caminhão passa mal, perde o controle da direção e sofre acidente.

Cantagalo - Motorista de caminhão passa mal, perde o controle da direção e sofre acidente

O acidente aconteceu neste sábado dia 18, na BR 277, próximo ao perímetro urbano da Cidade.

As equipes da Ecocataratas e PRF atenderam a ocorrência.

O motorista de um caminhão que transportava uma carga de soja acabou passando mal, com isso perdeu o controle da direção e o caminhão acabou tombando.

O motorista, que não teve o nome divulgado foi atendido no local e não precisou ser levado para atendimento hospitalar.
Fonte Portal Cantu

Acidente na PR-444 deixa uma pessoa morta.



Um acidente entre um carro com placas de Astorga e um ônibus fez uma vítima fatal na manhã deste sábado (18) na PR-444 próximo ao Posto Malaquias em Arapongas. Outras duas pessoas ficaram gravemente feridas e foram encaminhadas ao hospital.
O acidente foi registrado pouco antes das 06h e mobilizou equipes do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). A vítima fatal era um dos passageiros do GM/Monza e morreu na hora. Já o condutor do veículo e um segundo passageiro ficaram em estado grave e foram encaminhados ao Hospital Norte do Paraná (Honpar) - antigo João de Freitas. O motorista e passageiros do ônibus saíram ilesos. 
O corpo da vítima fatal foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML) e não teve o nome divulgado. 
Informações são do TN ONLINE.

Acidentes em rodovias do 


norte do Paraná deixam seis 


pessoas mortas.



Seis pessoas morreram e duas ficaram feridas em três acidentes registrados em rodovias da região norte do Paraná, neste sábado (18). O primeiro ocorreu na PR-444, em Arapongas, o segundo foi registrado na PR-466, em Jardim Alegre, e o terceiro na PR-454, em Jaguapitã.


A batida em Arapongas envolveu um carro e um ônibus, ocorreu durante a madrugada, e deixou uma pessoa morta e um ferido. A colisão foi em uma reta, em um trecho duplicado. O motorista do ônibus contou que seguia de São Paulo para o Paraguai quando o automóvel, que seguia no sentido contrário, bateu de frente.

"Estávamos subindo, e o carro estava atrás de um caminhão. O motorista do automóvel invadiu a nossa pista, eu tentei desviar, mas mesmo assim ocorreu a batida", contou Ivan Aparecido Galvani.


Peças do carro ficaram espalhadas pela rodovia. A parte da frente do automóvel ficou irreconhecível, com lataria e motor destruídos. Estragos que, de acordo com a Polícia Rodoviária Estadual, indicam excesso de velocidade.

Três pessoas estavam no carro, e após a colisão duas delas, o motorista e um passageiro, foram arremessadas para fora do veículo. "A vítima que morreu no local estava sem cinto, mas esse ficou dentro do carro. Possivelmente, os outros dois também  não usavam cinto de segurança", detalhou o policial rodoviário, Cabo Lacerda. Conforme a PRE, os feridos tiveram lesões nas pernas e afundamento de crânio. Eles foram levados ao hospital João de Freitas, em Arapongas.
O trecho da rodovia PR-444 ficou bloqueada por três horas, tempo que os funcionários da concessionária da rodovia demoraram para limpar a pista e retirar os veículos.


O ônibus levava 32 passageiros e dois motoristas, mas ninguém ficou ferido. A maioria dos passageiros seguiu viagem para o Paraguai em outro ônibus. Alguns desistiram e retornaram à São Paulo.

Dois jovens morreram em um acidente entre Jardim Alegre e Lidianópolis, na madrugada deste sábado (18) (Foto: Reprodução RPC)


Jardim Alegre

Ainda na madrugada deste sábado, na PR-466, um carro e um ônibus também bateram de frente. O ônibus seguia de Curitiba para Ivaiporã quando o automóvel colidiu no veículo. Os ocupantes do carro, dois jovens de 21 e 17 anos, morreram no local. Uma das vítimas era filha de um vereador de Lidianópolis.



Jaguapitã
Pela manhã, uma carreta e um carro bateram de frente em um trecho de reta da PR-454. A Polícia Rodoviária Estadual (PRE) não soube informar as causas do acidente. Morreram no local os ocupantes do automóvel e o motorista da carreta.



O helicóptero do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi chamado, mas nenhuma vítima sobreviveu ao impacto da batida. Os corpos foram levados ao Instituto Médico-Legal (IML) de Londrina.

Fonte G1
Executivo da BRF é preso em aeroporto pela operação carne fraca.
O gerente de Relações Internacionais e Governamentais da Brasil Foods (BRF), Roney Nogueira dos Santos, foi preso pela Polícia Federal (PF) hoje (18) no Aeroporto Internacional de Guarulhos após desembarcar vindo do exterior.
Segundo a assessoria da BRF, Santos se entregou às autoridades. O gerente teve a prisão preventiva decretada ontem pela operação Carne Fraca, da PF. Ele é acusado de influenciar fiscais do Ministério da Agricultura.
Login e senha
"[Roney Nogueira] remunera diretamente fiscais contratados, presenteia com produtos da empresa, se dispõe a auxiliar no financiamento de campanha política e maté é chamado a intervir em seleção de atleta em escolinha de futebol. Com tantas benesses, há notícia de que ele possui login e senha para acessar diretamente o sistema de processos administrativos (SEI) do MAPA [Ministério da Agricultura], obviamente de uso restrito ao público interno", disse o juiz federal Marcos Josegrei da Silva, que determinou a prisão do gerente.
Segundo a PF, os frigoríficos envolvidos na Operação Carne Fraca maquiavam carnes vencidas com ácido ascórbico e as reembalavam para vendê-las.
As empresas, de acordo com a polícia, subornavam fiscais do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento para que autorizassem a comercialização do produto sem a devida fiscalização. A carne imprópria para consumo era destinada tanto ao mercado interno quanto à exportação.
Informações são do UOL.
PT quer afastar Serraglio do 
Ministério da Justiça.
A bancada do PT no Senado divulgou nota oficial sobre a operação Carne Fraca desencadeada pela Polícia Federal na última sexta (17) em todo o país. Segundo a nota, a bancada petista se empenhará para que o paranaense Osmar Serraglio seja afastado de suas funções como ministro da Justiça e convocará o ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Blairo Maggi, para explicar à sociedade sobre o escândalo de proporções mundiais.
Serraglio está diretamente envolvido nas investigações iniciadas há dois anos sobre a venda de carne podre por parte de frigoríficos. 
Fonte Redesul