Fique Bem Informado acesse o Blog do Beto

ÁUDIO DESCRIÇÃO DO BLOG DO BETO: VOCÊ QUE TEM PROBLEMA VISUAL CLIQUE AQUI EM BAIXO:

quinta-feira, 24 de outubro de 2019

24/10/2019 *--* Deus é Fiel !!!!

Leitor que está com celular Click Aqui para ler as notícias atualizadas do Blog do Beto.


Numero de Celular com WhatsApp é clonado em Pitanga, e pessoa cai em golpe de Deposito Bancário entenda os fatos !!!

Imagem relacionada

No dia 23 de Outubro de 2019 as 09h40min relatou o solicitante que seu WhatsApp foi clonado e que enviaram mensagens para seu contados solicitando que depositassem certa quantia em dinheiro em sua conta. Sendo que um de seus contatos depositou o valor de novecentos em uma conta de terceiro. 

Fonte: Polícia Militar.


Uma pessoa é pega dirigindo motocicleta sem CNH em Pitanga.

Resultado de imagem para dirigindo sem cnh

No dia 23 de outubro de 2019, às 16h50min, em patrulhamento pela Rua Dinarte Andrade Aguiar, foi abordada uma motocicleta de cor preta, cujo condutor não é habilitado, sendo feito a notificação pertinente ao caso e liberado o veículo a condutor habilitado. 

Fonte: Polícia Militar.


Homem é Rendido por Bandidos em sua casa, e perde caminhonete Ranger XLT, dinheiro e diversos itens de montaria no valor de 20 mil reais em Nova Tebas !!!

Resultado de imagem para roubo com refém imagem ilustrativa

Nesta data foi dado atendimento a uma ocorrência de Roubo. O solicitante relatou que seu cunhado que mora na Localidade de Barreirinho do Meio, havia sido vítima de Roubo, que estaria esperando a equipe na Localidade de Volta Grande. Foi deslocado até o Local e em Conversa com a Vítima, relatou que em data de ontem 22/10, chegou a sua propriedade por volta das 20horas, deixou sua caminhonete I/Ford Ranger, Cor Vermelha, na garagem, a qual fica aproximadamente 50metros da residência, que quando chegou próximo à porta da casa foi rendido por dois masculinos encapuzados, um deles armado de revolver. A todo o momento pediam o dinheiro da vítima dizendo que sabiam que ele havia vendido gado, que teria dinheiro em casa, que também iriam levar a caminhonete.  Amarraram a vítima em uma cama, e disseram a ele para não sair antes do amanhecer, que um deles ficaria cuidando. Ele ficou amarrado com uma venda nós olhos, e escutava que os indivíduos estavam carregando a caminhonete, quando percebeu que os autores haviam saído com o veículo, tentou desamarrar as cordas, conseguindo sair por volta das, 23horas, pedindo socorro na casa de seu vizinho, que o levou até a residência de sua irmã, na localidade de Volta Grande, ficou lá até as 06h20min. Quando pediu pro seu cunhado solicitar a presença da equipe Policial. Relatou que não informou a Policia antes por ter sido ameaçado pelos autores, os quais diziam conhecer a família da vítima, e que se acionasse a Policia antes voltariam para matar a família. Relatou também que quando os dois indivíduos o abordaram, teria um terceiro individuo escondido atrás da casa, que segundo os autores ele era conhecido da vítima, e que foi ele quem passou as informações para que praticassem o roubo. Da Residência foi Roubado uma Caminhonete I/FORD RANGER XLT, de cor Vermelha, um Violão Amplificado, um Arreio Piraju completo em Inox, Duas Selas Boiadeiro uma em Alpaca e outra em Inox, varias peças de montaria em Alpaca cujo valor de aproximado de R$ 20.000,00 (vinte mil reais), Duas Selas de montaria de serviço completas, uma espora de prata, varias calças Jeans e camisas, uma bota Texana Couro de Jacaré de cor amarela, um relógio em Ouro marca Festina, um Celular Nókia, aproximadamente R$ 3.000,00 (três mil reais em dinheiro). A vítima foi orientada quando aos procedimentos.

Fonte: Polícia Militar.


Colisão envolve caminhão e pulverizador.


Um acidente foi registrado por volta das 14h25 desta quarta-feira (23) na SC-160, entre Campo Erê e Saltinho, no Oeste de Santa Catarina.

A colisão foi entre um caminhão Scania R 124, com placas do Paraguai e um pulverizador auto-propelido New Holland.

O Corpo de Bombeiros foi acionado para prestar atendimento, mas o condutor do pulverizador de 53 anos sofreu escoriações e hematomas e recusou encaminhamento ao hospital.

A Polícia Militar de Saltinho fez o controle do transito até a chegada da Polícia Militar Rodoviária do 17º Posto de São Lourenço do Oeste que fez o levantamento do acidente.

Fonte: Jandir Sabedot / CampoErê.Com


Caminhões batem em saída de posto na BR-376.


A Polícia Rodoviária Federal atendeu, por volta das 06h50 desta quarta-feira (23), a uma colisão lateral na BR 376, no KM 450. O acidente envolveu dois caminhos e foi registrado no município de Tibagi, cidade na região dos Campos Gerais.

A colisão envolveu um caminhão bitrem Scania, com placas de Faxinal/PR, em que o condutor de 36 anos escapou ileso e o caminhão VW 24.250 placas de Cambé/PR – neste caso, o condutor de 62 anos sofreu lesões leves e que foi encaminhado ao Pronto Socorro Municipal (PSM) de Ponta Grossa/PR. 

De acordo com a PRF, a Scania saia do pátio do posto de combustível, às margens da rodovia quando colidiu lateralmente com o VW 24.250 que transitava pela rodovia também no sentido Ponta Grossa.

O motorista do Scania realizou teste etilômetro resultado negativo, não sendo possível realizar o teste no condutor do VW por ter sido hospitalizado. O veículo VW foi recolhido ao pátio da PRF conveniado devido estar com débitos de licenciamento e DPVAT.

Fonte: Portal A Rede.


Paraná deverá produzir mais de 36 milhões de toneladas de grãos.


Com a colheita dos cereais de inverno praticamente concluída, a safra de grãos 2018/19 no Paraná está sendo encerrada com um total estimado de 36,3 milhões de toneladas, volume 3% acima da safra anterior (17/18) que atingiu 35,4 milhões. É quase um milhão de toneladas de cereais a mais produzidos no Estado, segundo levantamento do Departamento de Economia Rural (Deral), da Secretaria de Estado da Agricultura e Abastecimento, relativo ao mês de outubro.

A safra de grãos de verão (2019/20), que está sendo plantada, poderá chegar a 23,4 milhões de toneladas, sendo que o cultivo de soja representa 90% da área plantada nesta época do ano no Estado. A safra de grãos de verão poderá ser 19% maior em relação à safra passada, que foi de 19,6 milhões de toneladas.

Segundo o diretor do Deral, Salatiel Turra, essa safra 19/20 começa com um potencial de 4 milhões de toneladas a mais, por causa da possibilidade de recuperação da soja, que quebrou no ano passado devido à seca, quando foram perdidas mais de 3,5 milhões de toneladas.

Para a safra de grãos de verão deste ano, a seca volta a ser uma preocupação, disse Turra. Sem chuvas regulares desde o início de setembro, as regiões Norte, Oeste, Noroeste e Norte Pioneiro estão sofrendo com a estiagem. De acordo com o Deral, a situação hídrica já foi normalizada nas regiões Central e Sul do Estado. O plantio da safra de verão começa a sofrer atrasos por conta da seca, mas há tempo para recuperação, salientou.

Turra diz que por enquanto o sinal é amarelo para o plantio de soja. “Há preocupação com o cenário climático que ainda está incerto”, afirmou.

SOJA – O plantio de soja da safra 2019/20 foi feito em 45% da área estimada de 5,5 milhões de hectares, porém está um pouco atrasado em relação ao ritmo de plantio de anos anteriores. O período da soja no Paraná vai até 31 de dezembro, então há tempo para recuperação, informou o analista Edmar Gervásio, do Deral.

Em condições normais de clima, o Deral estima um volume de 19,8 milhões de toneladas para a safra de soja, que representa um incremento de 23% sobre a soja da safra passada (2018/19) que atingiu volume de 16,1 milhões de toneladas. A safra anterior foi prejudicada pela seca.

Segundo Gervásio, as últimas chuvas beneficiaram mais as lavouras das regiões Sudoeste e Sul. Já na região Oeste, grande produtora de soja, ocorreram chuvas, mas elas foram insuficientes e o solo voltou a ficar seco. Apenas 18% da área prevista na região foi plantada. A preocupação é que o período para o plantio começa a ficar restrito no Oeste.

Se chover no Oeste, a soja ainda pode ser plantada. Agronomicamente, é recomendável para o desenvolvimento da planta. Porém, se for considerado o sistema de produção, que inclui o plantio do milho safrinha, pode haver comprometimento, salientou Gervásio.

Isso porque, segundo ele, o plantio tardio da soja certamente vai comprometer o do milho safrinha da safra 2020 na região, que é bastante significativo para a produção estadual. Quando a soja é plantada mais tarde, a colheita também é tardia, o que vai prorrogar o período de plantio do milho safrinha na região, que está sujeito a ser atingido por geadas no ano que vem.

Enfim, salientou Gervásio, no Paraná os períodos de plantio são praticamente cronometrados para proporcionar o máximo de rendimento com a sucessão de safras.

O atraso mais significativo no cultivo da soja está na região Norte, que planta mais tarde, portanto tem mais tempo para recuperação.

MILHO – A área plantada com milho nesta época do ano é pequena. Ao longo dos últimos anos, o milho de primeira safra vem perdendo espaço para a soja, que compensa mais financeiramente aos produtores.

Segundo o Deral, serão 338 mil hectares plantados este ano, que dará uma redução de 6% sobre a área ocupada no ano passado, que atingiu 360 mil hectares. A produção da safra 2019/20 deve atingir um volume de 3,1 milhões de toneladas, praticamente repetindo a produção do ano passado que foi de 3,15 milhões de toneladas.

Os mesmos aspectos climáticos que atingem a soja também impactam no plantio de milho da primeira safra, disse Gervásio. Mas o impacto sobre a cultura é menor porque 70% do plantio de milho da primeira safra se concentra nos núcleos de Curitiba, Ponta Grossa e Guarapuava, onde o clima não foi tão irregular como nas demais áreas. Com isso, 90% da área prevista com milho da primeira safra já foi plantada.

Uma característica importante no plantio de milho da primeira safra é que a cultura se tornou uma produção de nicho. São produtores mais especializados, com uso de mais tecnologia e de alta produtividade nas lavouras.

FEIJÃO – A primeira safra de feijão no Paraná está com 84% da área plantada, superando o ritmo de plantio do ano passado. A cultura não foi afetada pelo clima seco porque 90% do plantio se concentra na região Sul, onde as condições hídricas no solo estão regulares.

Segundo o Deral, este ano serão plantados 152.500 hectares, área 6% inferior ao igual período do ano passado, que atingiu 162.300 hectares. A estimativa de produção é de 305,2 mil toneladas, volume 24% acima do ano anterior, quando a safra tingiu 247,1 mil toneladas.

O engenheiro agrônomo do Deral, Carlos Alberto Salvador, afirma que as condições de desenvolvimento do feijão da primeira safra são boas, mantendo as expectativas de uma boa colheita, ficando ainda o Paraná como líder nacional de produção do grão.

Salvador destacou que o desafio da cadeia produtiva do feijão é aumentar o consumo, que diminui ano a ano por causa de novos hábitos da população. Com isso, a produção também vai reduzindo, disse.

TRIGO – O trigo da safra 2019 está com 82% da área já colhida. A seca acelerou o ritmo de colheita. Segundo o engenheiro agrônomo do Deral, Carlos Hugo Godinho, este é o terceiro ano seguido de safra de trigo ruim no Estado e este ano a safra será a menor dos últimos anos, com uma quebra de 34% em relação ao potencial. A expectativa de produção foi rebaixada para 2,2 milhões de toneladas, bastante inferior ao ano passado, também afetado pela seca, cujo volume foi de 2,8 milhões de toneladas. O prejuízo estimado aos produtores é de aproximadamente de R$ 50 milhões.

A safra deste ano foi atingida por dois eventos climáticos prejudiciais ao desenvolvimento das plantas. Foram as geadas nas lavouras mais precoces, que afetaram as regiões Oeste, Centro-Oeste e Sudoeste. E posteriormente a seca que atingiu essas mesmas regiões, e também o trigo plantado na região Norte.

Atualmente, a colheita está ocorrendo nas regiões Sul e Sudeste, onde as lavouras são plantadas mais tardiamente e que estão com uma condição mais razoável de desenvolvimento. Será a parte da safra que terá mais produtividade e qualidade, salientou Godinho.

MANDIOCA – A área plantada com mandioca no Estado na safra 2019/20 será de 134,6 mil hectares, praticamente repetindo a área da safra passada. A produção estimada pelo Deral é de 3,3 milhões de toneladas, volume cerca de 3% acima do não passado, quando foram colhidas 3,2 milhões de toneladas.

De acordo com o economista Methodio Groxko, o clima seco está afetando o plantio da safra nova. “O plantio não está atrasado, porém começam a aparecer dificuldades na emergência das plantas por falta de chuvas”, disse.

Segundo Groxko, agora as atividades são simultâneas entre a colheita da safra anterior e plantio da nova safra de mandioca. Assim como o clima seco está prejudicando o desenvolvimento da safra nova, também está prejudicando o arranquio da raiz, por causa do solo seco.

CEVADA – A cevada é um cereal de inverno que começa a ganhar importância no Paraná devido ao sistema de produção integrada, cuja comercialização é garantida pelas cooperativas e indústrias cervejeiras, com demanda acima da produção

A área plantada nesta safra deve atingir 60,3 mil hectares, 8% acima do ano passado, quando ocupou 55,7 mil hectares. A produção estimada pelo Deral é de 244,3 mil toneladas, volume 11% maior que no ano passado quando foi de 220 mil toneladas.

Segundo o engenheiro agrônomo do Deral, Rogerio Nogueira, a cevada plantada em 2019 está sendo colhida, com plantio feito em 13% da área ocupada. O ritmo de colheita está mais avançado em Ponta Grossa, onde 50% da área plantada já foi colhida e está em boas condições. Na região de Guarapuava, as primeiras lavouras colhidas demonstram que a cultura foi afetada pela seca, devendo apresentar uma retração regional.

Nogueira diz que a produtividade média de cevada no Paraná e de 4 mil quilos por hectare, sendo que há propriedades com rendimento de até 7 mil quilos por hectare na região de Guarapuava. A produção da região de Guarapuava já está toda vendida para a cooperativa Agrária do distrito de Entre Rios.

Fonte: AEN.


Procuradora da Mulher da Alep manifesta repúdio ao assassinato de professora em Pinhão.


A Procuradoria Especial da Mulher da Assembleia Legislativa do Paraná (Alep) divulgou nesta quarta-feira (23) uma nota de repúdio lamentando a morte da professora Franciely Tavares, assassinada em Pinhão, na região de Guarapuava, pelo ex-marido. A procuradora, Deputada Estadual Cristina Silvestri, afirma que essa é mais uma tragédia, um crime bárbaro, que poderia ter sido evitado e que não pode ser aceito pela sociedade.

“Até quando vamos continuar assistindo essa violência contra as mulheres?”, questiona a parlamentar. Cristina Silvestri afirma que são muitos os fatores que contribuem para a reprodução da violência contra as mulheres. Uma delas é a ausência de políticas públicas que assegurem equidade de direitos e articulem prevenção, promoção e punição.

Na nota, a procuradora da mulher destaca a “a urgência de medidas que contribuam para a desconstrução dos estereótipos machistas e a importância ao combate à discriminação da mulher na sociedade brasileira”. “Repudiamos todas as formas de violência e discriminação”, acrescentou a parlamentar.

AUMENTO DE CASOS

Segundo dados do 13º Anuário Brasileiro de Segurança Pública, divulgado setembro pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública, os casos de violência contra a mulher registraram, no Paraná, crescimento significativo no ano passado. O crescimento verificado em 2018, na comparação com 2017, foi de 14,1%. O Estado registra, em média, um caso de violência contra a mulher a cada 24 minutos. O cálculo inclui os casos de homicídios (dentro dos quais estão inclusos os feminicídios), de violência doméstica (lesão corporal dolosa), estupro e tentativa de estupro.

Por outro lado, de janeiro a junho deste ano, conforme o Governo do Paraná, foram registradas 26.228 ocorrências, contra 21.048 no primeiro semestre do ano passado. O aumento foi de 24,6% (ou 5.180 registros a mais). São ocorrências de diversas naturezas, desde agressão verbal até lesão corporal, contra ambos os sexos, sempre dentro do ambiente doméstico.

“Os dados indicam que buscar ajuda vem deixando de ser tabu, principalmente entre as mulheres, em função do empenho do Governo do Estado em orientar sobre a importância da denúncia”, reforça Cristina.

No Brasil, a cada quatro minutos, uma mulher é agredida. A cada oito horas, o crime de feminicídio fez uma vítima fatal entre 2017 e 2018. Os dados estão também no levantamento do Fórum Brasileiro de Segurança Pública. Nos últimos dois anos, 2.357 mulheres foram assassinadas.

NOTA DE REPÚDIO

Confira a seguir a íntegra da Nota de Repúdio divulgada pela Procuradoria Especial da Mulher da Assembleia Legislativa do Paraná:

“A Procuradoria Especial da Mulher da Alep manifesta repúdio acerca do feminicídio ocorrido no município de Pinhão, localizado na região de Guarapuava, e que teve como vítima a jovem professora Franciely Tavares, 33 anos. Ela foi morta a tiros na última terça-feira (22) por seu ex-marido, que confessou o crime à polícia.

Nossa indignação aumenta quando tomamos conhecimentos que a vítima tinha medida protetiva contra o ex-marido desde setembro deste ano.

Essa é mais uma tragédia que se soma a relatos diários de assassinatos de mulheres que foram esfaqueadas, queimadas, estupradas e jogadas em matas e rios. Além dos casos de assédio sexual e moral que as mulheres vivenciam diariamente, nos mais diversos espaços.

É uma triste realidade que comprova a urgência de medidas que contribuam para a desconstrução dos estereótipos machistas e a importância ao combate à discriminação da mulher na sociedade brasileira. Para por fim a violência doméstica e sexual que atinge, ainda, hoje milhares de mulheres em nossas cidades paranaenses, em todo o Brasil.

A Procuradoria da Mulher, órgão de defesa dos direitos femininos, vem trabalhando na fiscalização e estruturação da rede de proteção à mulher no estado e nos municípios. Está aberta, ainda, para receber denúncias de discriminação e violência contra a mulher, promovendo os encaminhamentos necessários em busca de soluções rápidas e eficazes.

Defendemos que o fim da cultura de violência contra as mulheres e a emancipação feminina são pressupostos para a construção de uma sociedade mais justa.

Não podemos compactuar com essas tragédias, razão pela qual vamos acompanhar os procedimentos de investigação deste caso, assim como estamos fazendo em relação a outras situações apresentadas a Procuradoria da Mulher da Alep.

Não temos palavras para expressar os nossos sentimentos aos familiares e amigos. Muito respeitosamente, prestamos as nossas condolências e deixamos os nossos mais sinceros pêsames. Reforçamos que não vamos nos calar enquanto as mulheres continuarem sendo vítimas da violência”.

Foto: Ascom

Fonte: Assessoria de Comunicação Gabinete Deputada Estadual Cristina Silvestri Assembleia Legislativa do Estado do Paraná


Maia: reforma do Estado e segurança jurídica são os dois eixos mais importantes.

Resultado de imagem para Maia

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, disse nesta quinta-feira, 24, que os governos brasileiros dos últimos anos, assim como ocorreu também em outros países da América Latina, priorizaram mais os gastos correntes do que os investimentos. “Isso significa que estamos olhando mais para o passado do que para o futuro”, avaliou durante palestra no Brazil Institute, do King’s College, em Londres.

Por este motivo, de acordo com ele, a reforma do Estado e a melhora da segurança jurídica são os dois eixos mais importantes para o País. “Isso é o que estou fazendo desde o governo de Michel Temer”, disse, citando o ex-presidente. Segundo o deputado, com estes dois pontos “arrumados”, o governo terá condições de fazer seus próprios investimentos.

Um dia depois de a reforma da Previdência ser aprovada pelo Congresso, Maia comentou que o sistema atualmente transfere renda dos mais pobres para os mais ricos. As despesas com as aposentadorias são hoje as maiores do governo, mas sem outras alterações e reformas, o custo da máquina pública vai crescer R$ 54 bilhões todos os anos. Para ele, no entanto, não se deve mexer no salário mínimo, que é uma das políticas que dão garantia mínima aos trabalhadores.

O parlamentar considerou ainda que, assim como a Previdência, o sistema tributário também beneficia quem tem mais renda em detrimento de quem tem menos renda. Por isso e também para atrair mais investimentos externos, o presidente da Câmara defende uma reforma no setor. Ele comentou que há uma demanda do Supremo Tribunal Federal (STF) de deixar apenas normas gerais em uma futura reforma para que não haja tantos conflitos e se diminua a insegurança jurídica. Maia também criticou a busca de municípios e Estados de uma fatia dos impostos de exportações, o que já é, na prática, um recurso sem propósito e praticamente existente apenas no Brasil. “Num país onde não tem dinheiro, todos tentam caminho para arrecadar mais”, justificou, porém.

Maia também acredita que poderia haver uma mudança na isenção de impostos existente hoje para produtos da cesta básica. Todos os anos, segundo ele, o governo deixa de arrecadar R$ 12 bilhões com esse benefício, que acaba sendo usado por pobres e ricos. O melhor, segundo ele, é que esse montante de recurso fosse destinado aos que realmente precisam por meio de um programa específico. “O impacto poderia ser de duas a três vezes maior”, previu, dizendo que se trata apenas de um exemplo entre vários que poderiam ser alterados no País.

A previsão é que Maia se encontre nesta quinta-feira com o presidente do Comitê para Assuntos Digitais, Cultura, Mídia e Esportes da Câmara dos Comuns (equivalente à Câmara dos Deputados brasileira) do Parlamento britânico, Damian Collins, e com o presidente do Comitê de Comunicações da Câmara dos Lordes (equivalente ao Senado), Gilbert de Panteg.

O deputado brasileiro também fará uma videoconferência com Charles Kriel, pesquisador do Centro para Comunicações Estratégicas do Kings College e Conselheiro do Departamento de Assuntos Digitais, Cultura, Mídia e Esportes da Câmara dos Comuns.

Fonte: CGN.