Fique Bem Informado acesse o Blog do Beto

ÁUDIO DESCRIÇÃO DO BLOG DO BETO: VOCÊ QUE TEM PROBLEMA VISUAL CLIQUE AQUI EM BAIXO:

sexta-feira, 22 de junho de 2018

22/06/2018 - MATÉRIAS ATUALIZADAS !!!!

Leitor que está com celular Click Aqui para ler as notícias atualizadas do Blog do Beto.


Rapaz é assassinado com três tiros


Um rapaz de 24 anos foi assassinado com três tiros na Rua Cisne Negro, no Jardim Petrópolis, em Arapongas. 

c Ele foi identificado como Daniel de Jesus, de 24 anos. Segundo a polícia, Daniel, que já tinha passagem pela polícia, estava caído dentro do seu veículo com três perfurações de arma de fogo no pescoço.

Uma equipe do Instituto Médico legal (IML) de Apucarana removeu o corpo para exame de necropsia.

A Polícia Civil de Arapongas instaurou inquérito para apurar o motivo e a autoria do crime.

Informações são do site TN ONLINE.



Condutor de moto morre em colisão com veículo.


Um acidente entre uma Biz e um Renault Duster deixou um morto na região de Maringá. A colisão frontal ocorreu na BR-376, em Marialva, na madrugada de hoje.

Segundo a Polícia Rodoviária Federal, testemunhas informaram que o condutor da moto envolvido no acidente transitou na contramão por vários quilômetros.

A colisão ocorreu na faixa da esquerda, próximo do canteiro central. O local é bem sinalizado e após uma curva.

O homem que morreu no acidente não era habilitado.

Os veículos foram entregues à autoridade de Marialva e o corpo do motociclista foi encaminhado para o IML de Maringá.

Fonte: CGN.



Petrobras perde ação trabalhista de R$ 15 bi.


A Petrobras perdeu a maior ação que já enfrentou na Justiça do Trabalho. Com o placar apertado de 13 a 12, o TST (Tribunal Superior do Trabalho) tomou uma decisão que leva a empresa a pagar mais de R$ 15 bilhões a funcionários que questionam a política de remuneração da estatal.

A companhia informou que apresentará recurso ao próprio TST, os chamados embargos de declaração, e também vai recorrer ao STF (Supremo Tribunal Federal) na tentativa de reverter a decisão.

A defesa da estatal foi pega de surpresa com o resultado. Nos bastidores do julgamento, com uma vitória.

A sessão levou cerca de dez horas. Os ministros julgaram a fórmula de cálculo prevista na RMNR (Remuneração Mínima de Nível e Regime), instituída em 2007, quando houve uma mudança na política trabalhista da estatal para equalizar salários de diferentes categorias.

A decisão final coube ao presidente do tribunal, ministro Brito Pereira, último a votar. Antes dele, o placar estava empatado em 12 a 12.

A Petrobras e os funcionários que acionaram a Justiça discordam sobre a forma como devem ser computados adicionais pagos em casos como insalubridade e jornada noturna.

Negociada com os sindicatos, a RMNR incorporou adicionais como o de periculosidade e permitiu que os trabalhadores de mesmo nível em uma mesma região tivessem rendimentos equivalentes. Ou seja, empregados de áreas administrativas receberam aumento e passaram a ganhar o equivalente a colegas de áreas operacionais.

Na linha do que pedem os sindicatos, o relator do caso, ministro Alberto Luiz Bresciani de Fontan Pereira, defendeu que adicionais não devem compor a base de cálculo.

"Os adicionais de origem constitucional e legal, destinados a remunerar o trabalho em condições especiais ou prejudiciais –adicionais de periculosidade e insalubridade, adicionais pelo trabalho noturno, de horas extras, repouso e alimentação e outros– não podem ser incluídos na base de cálculo", disse.

Em sentido contrário, a ministra revisora, Maria de Assis Calsing, defendeu a tese da Petrobras, de que adicionais devem integrar o cálculo das parcelas dedutíveis da RMNR, conforme acordo firmado à época. Calsing destacou, ainda, que houve demora no ajuizamento de ações trabalhistas sobre o tema.

"Não parece crível que a categoria profissional, representada por entidades de classe fortes e combatentes. tenha se surpreendido com a forma de calculo preconizada pela Petrobras somente após três anos da instituição da RMNR", disse.

O MPT (Ministério Público do Trabalho) defende que os adicionais não devem ser computados na base de cálculo e diz que, pelo entendimento de Calsing, trabalhadores que atuam em atividade perigosa, insalubre ou em período noturno teriam o mesmo tratamento daqueles com atividade em escritórios. "Assim, há ofensa ao princípio da igualdade", disse o procurador-geral do trabalho, Ronaldo Fleury.

A Petrobras e a Advocacia-Geral da União (AGU) haviam defendido a tese de que os pagamentos de adicionais deveriam ser incluídos pela estatal na base de cálculo da RMNR. Essa é a prática que a estatal tem adotado desde o primeiro acordo coletivo assinado com a categoria.

Desde que foi instituída em 2007, a remuneração mínima de nível e regime equalizou os salários se transformou numa bola de neve de questionamentos e pedidos na área trabalhista.

Ela foi foi negociada com os sindicatos em 2007. Em 2012, no entanto, os sindicatos foram à Justiça pedindo novo adicional para aqueles funcionários que trabalham em situação de risco e também pedindo o pagamento retroativo ao período em que o benefício foi extinto.

A categoria argumenta que o pagamento de adicionais para trabalhadores de área de risco está previsto na Constituição Federal e não pode ser eliminado por acordo trabalhista.

A instituição da RMNR ainda é alvo de denúncia feita por empregados e pequenos acionistas insatisfeitos com a expansão dos passivos trabalhistas da empresa na gestão do sindicalista Diego Hernandes na área de Recursos Humanos.

Fonte: FOLHA PRESS.




22/06/2018 - DEUS É FIEL !!!!

Leitor que está com celular Click Aqui para ler as notícias atualizadas do Blog do Beto.


Homem é Pego com Gado Furtado em Santa Maria do Oeste.


Durante a noite, a equipe de serviço de Santa Maria do Oeste, realizou diligências no intuito de localizar o autor de  furtos de gado ocorridos na região. Durante a noite foi logrado êxito, sendo localizado uma novilha e preso o receptador. Sendo este encaminhado à 45 DRP em Pitanga para providências legais. Ainda está sendo realizado diligências para localizar mais produtos de furto.

Fonte: Polícia Militar.


Rapaz é detido tentando furtar caminhão.


Um rapaz de 24 anos foi detido por populares na Avenida Doutor Ronie Cardoso, no Jardim Araucária II, ao tentar furtar um caminhão. Ele aproveitou um momento de descuido do motorista e tentou dar a partida, mas foi impedido por testemunhas e permaneceu detido até a chegada da Polícia Militar de Castro (região dos Campos Gerais).

De acordo com a PM, o caminhão estava parado com as portas abertas descarregando encomendas. O jovem entrou na cabine e tentou dar a partida, mas várias pessoas que estavam próximas perceberam a ação e conseguiram detê-lo. O rapaz se debateu e causou danos no interior do caminhão, mas foi detido até a chegada da PM.

Ainda segundo a polícia, o rapaz já tem passagens policiais por furto e foi encaminhado à delegacia da Polícia Civil.

Informações são do site A REDE.


Petrobras anuncia redução de 1,11% no preço da gasolina nas refinarias.

Resultado de imagem para REFINARIA

A Petrobras anunciou ontem (21) redução de 1,11% no preço da gasolina em suas refinarias. A partir de hoje (22), o litro do combustível será vendido pela estatal por R$ 1,8634, 2 centavos a menos do que o R$ 1,8841 cobrado hoje.

Desde o dia 9 de junho, quando foi anunciado o último aumento no preço, a Petrobras tem mantido ou feito reduções no valor do combustível. No mês, a gasolina acumula queda de 5,27%, ou seja, de 10 centavos.

Fonte: Agência Brasil


Brasil perdeu 1,3 milhão de empregos na indústria entre 2013 e 2016.

Resultado de imagem para brasil perde emprego

A crise econômica em 2014, 2015 e 2016 levou a indústria brasileira ao menor número de empregados desde 2007. No fim de 2016, o setor empregava 7,7 milhões de pessoas – 1,3 milhão a menos que o pico atingido em 2013, quando mais de 9 milhões de pessoas trabalhavam nas indústrias do país.

Os dados fazem parte da Pesquisa Industrial Anual Empresa (PIA Empresa), que foi divulgada hoje (21) pelo Instituto Brasileiro de Geografia Estatística (IBGE).

Para o gerente da pesquisa, Jurandir Oliveira, os resultados mostram uma queda substancial no emprego em 2016. A retração anual foi a terceira consecutiva no número de vagas e teve uma intensidade menor que a de 2015. Depois do pico atingido em 2013, o Brasil perdeu 2,55% das vagas em 2014, em relação a 2013; 7,46% em 2015/2014; e 4,92% em 2016/2015. Se comparado a 2013, 2016 soma uma queda de 14,3%.

Em números absolutos, a atividade industrial que mais fechou vagas foi a fabricação de produtos minerais não metálicos. A perda de 56,5 mil vagas foi influenciada pela queda da demanda do setor de construção civil, também relacionada à crise econômica, explica Jurandir Oliveira.

Em números relativos, no entanto, a pesquisa informa que a indústria naval teve uma queda de 49% do pessoal ocupado em apenas dois anos. O setor tinha 61,5 mil vagas em 2014 e fechou 2016 com 31,5 mil. Grande parte dessa queda ocorreu no estado do Rio de Janeiro, onde 23 mil vagas foram fechadas, e o contingente de 31 mil trabalhadores caiu para apenas 8 mil.

"O pessoal ocupado hoje representa 26% do que tínhamos em 2014. É pouco mais de um quarto do que foi medido em 2014", disse Jurandir, que acrescentou dados sobre o valor gerado pelo setor. "A produção de 2016 é 29% da produção de 2014. É uma queda de pouco mais de 70% na produção".

A atividade da indústria com o maior número de empregados em 2016 continuou sendo a Fabricação de Produtos Alimentícios, que tinha 1,7 milhão de postos de trabalho em 2016, após um crescimento de 0,75% sobre 2015. A indústria de alimentos responde por 22% das vagas da indústria, e, segundo Jurandir Oliveira, é mais resistente a condições econômicas desfavoráveis.

"A indústria de alimentos sofre uma influência muito grande do próprio crescimento da população. Esse setor é mais resistente porque a demanda é sempre crescente independentemente até das condições mais econômicas. Ela cresce quase que vegetativamente".

Em termos de valor produzido pela indústria, a fabricação de produtos alimentícios é a que mais agrega à economia na maior parte dos estados, incluindo São Paulo, onde responde por 18,2% do total. Somente no Rio de Janeiro, Espírito Santo e Pernambuco essa atividade não está entre as três mais importantes da indústria.

Menos empresas e investimentos
Outro dado que mostra a crise no setor é a queda no número de empresas, que chegou a 323,3 mil, depois de quatro anos seguidos de retração. Em 2013, o Brasil tinha 334,9 mil empresas ativas na indústria.

Entre 2015 e 2016, a redução do número de indústrias de extração de minerais não metálicos chegou a mais de um quinto (21,02%). Por outro lado, as indústrias de manutenção, reparação e instalação de máquinas e equipamentos tiveram um aumento percentual de 13,62% no número de empresas ativas.

Os dados gerais também mostram queda nos investimentos, que recuaram de R$ 193,3 bilhões em 2015 para R$ 185,9 bilhões em 2016. Dois anos antes, em 2014, a indústria brasileira investiu R$ 245,9 bilhões.

Para o ano de 2017, Jurandir explica que a expectativa dos pesquisadores é que os resultados da pesquisa acompanhem os números da economia. No ano passado, o PIB interrompeu a trajetória de queda e cresceu 1%, mas o crescimento foi puxado pelo crescimento de 13% na agropecuária, que teve uma safra recorde. A indústria ficou estável, sem crescimento ou queda no valor que adiciona à economia.

"A tendência é que a pesquisa de 2017 vá refletir o que a conjuntura já demonstrou, tanto para o lado do PIB quanto as estatísticas setoriais da indústria que a gente divulga mensalmente".

Fonte: Agência Brasil.


Pedestre morre atropelado por carro em rodovia.


Um homem de 57 anos morreu atropelado na noite na BR-153, na cidade de Rio Azul (117 quilômetros de Ponta Grossa). O acidente aconteceu no quilômetro 367 da rodovia por volta de 22h30. A vítima, que ainda não teve a identidade revelada oficialmente pelo Instituto Médico Legal (IML), foi atingida por um Classic com placas de Santo Antônio da Platina.

De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), o automóvel seguia no sentido Mallet-Rebouças da rodovia quando atingiu o pedestre que estava na pista. Ele não resistiu às lesões e morreu ainda no local do atropelamento. O motorista do carro, de 39 anos, e o passageiro de 34 anos escaparam ilesos do acidente.

Ainda de acordo com a PRF, havia muita neblina na hora do atropelamento, o que pode ter prejudicado a visibilidade do condutor. O corpo da vítima foi encaminhado ao IML de Ponta Grossa.

O texto é do site A REDE.


Pneu de caminhonete estoura e cinco pessoas ficam feridas na PR - 323.


Cinco integrantes de uma família de São Jorge do Patrocínio, ficaram feridos num acidente na rodovia PR 323 na tarde desta quinta-feira (21). Eles seguiam a passeio para o Estado de São Paulo, mas foram parar num hospital de Cruzeiro do Oeste.

De acordo com a Polícia Rodoviária Estadual, o acidente aconteceu ao final da tarde, quando o pneu traseiro direito da caminhonete Volkswagen Amarok, estourou.

O motorista de 48 anos perdeu o controle e saiu da pista, vindo a capotar e depois colidiu contra uma árvore.

Os quatro adultos e uma criança que ocupavam o veículo foram socorridos por ambulâncias da Defesa Civil e Samu de Cruzeiro do Oeste, sendo encaminhados com ferimentos leves ao hospital daquele município.


Patrulheiros rodoviários de Cruzeiro do Oeste fizeram um levantamento do acidente e controlaram o tráfego enquanto as vítimas eram socorridas.

As informações são do O Bemdito.


Mais um caminhão tomba na PR - 182.


Na tarde de quinta-feira (21) mais um tombamento de caminhão foi registrado na serra da PR-182 entrada da cidade de Manfrinópolis.

Um caminhão Mercedes-Benz, truck com placas de Santa Maria (RS) carregado com suplemento para bovinos, descia a serra e devido ao superaquecimento dos freios o motorista perdeu o controle, o caminhão atingiu alta velocidade e o motorista foi obrigado a jogar o caminhão contra o barranco, pois caso contrário entraria no perímetro urbano em mais de 90 km por hora, podendo causar uma tragédia ainda maior.

O motorista pulou do caminhão, antes do choque com o barranco. O caminhão ainda derrubou um poste e atingiu o muro de uma residência.

Segundo o Cabo Miranda, comandante do destacamento da Polícia Militar de Manfrinópolis que esteve com sua equipe no local ajudando a controlar o trânsito este foi o quinto acidente na serra neste ano, todos semelhantes, por falta de freios nos caminhões.

A Polícia Rodoviária Estadual também registrou a ocorrência.



Fonte: PPNews.


Lava Jato prende ex-diretor de subsidiária da Petrobras ligado a deputado do PP.

Resultado de imagem para Lava Jato

A 52ª fase da Lava Jato, denominada Greenwich, prendeu na manhã de quinta-feira (21) o ex-diretor da Petroquisa, subsidiária da Petrobras, Djalma Rodrigues de Souza. Seu filho, Douglas de Souza, deve se entregar nesta tarde.

A prisão de Djalma é preventiva, enquanto a de Douglas é temporária (cinco dias), para evitar possível ocultação e destruição de documentos.

Djalma e familiares, segundo o Ministério Público Federal, cometeram crimes de corrupção e lavagem de dinheiro envolvendo a Petroquisa. De acordo com a acusação, foi utilizada conta na Suíça para receber R$ 17,7 milhões da Odebrecht entre dezembro de 2010 e março de 2014. A conta seria controlada pelo filho do ex-diretor.

Em troca dos repasses, a empreiteira teria sido favorecida na obtenção de dois contratos, com o estabelecimento de parâmetros que só poderiam ser atendidos por empresas da Odebrecht. Os contratos mirados foram firmados com a Petroquímica Suape e com a Companhia Integrada Têxtil de Pernambuco.

Também foram cumpridos nove mandados de busca e apreensão no Rio de Janeiro (RJ), no Recife (PE) e em Timbaúba (PE), em endereços de empresas ligadas à família de Djalma.

Chamaram a atenção das autoridades as movimentações financeiras e os rendimentos declarados por Djalma Rodrigues perante a Receita Federal, incompatíveis, segundo a acusação, com seus recebimentos regulares da Petrobras.

Ao longo das investigações, também foram encontrados indícios de que o ex-diretor teria interferido, enquanto gerente, em favor de empresas administradas por seus familiares, com o objetivo de que fossem beneficiadas com contratos públicos.

Djalma Souza é ligado ao deputado federal Eduardo da Fonte (PP-PE), que o indicou para o cargo.

Ambos tornaram-se réus na Lava Jato em maio deste ano após denúncia da Procuradoria-Geral da República ter sido acatada pela segunda turma do STF (Supremo Tribunal Federal). Eles são suspeitos dos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

Segundo a Procuradoria, o deputado teria recebido R$ 300 mil em propinas do empresário Ricardo Pessoa, dono da construtora UTC Engenharia, para a campanha de deputado federal em 2010.

Em contrapartida, o deputado e o ex-excutivo da Petrobras teriam prometido beneficiar a empresa e contratos com a estatal. Eduardo da Fonte diz que só recebeu doações legais e nega irregularidades.

Djalma também é citado nas planilhas do Departamento de Operações Estruturadas da Odebrecht, setor que operava os repasses de propinas para políticos, no qual é denominado com o codinome "jabuti".

OUTRO LADO

Em nota, a Odebrecht disse que as investigações tiveram origem em informações fornecidas na colaboração da empresa e de seus ex-executivos.

As defesas de Djalma Rodrigues e Douglas de Souza ainda não foram localizadas.

Fonte: FOLHA PRESS